Poetisa Leidiana S. Silva

Poetisa Leidiana S. Silva
********

domingo, 9 de julho de 2017

A POESIA E A POETA INQUIETA

Nasci poeta, sou inquieta
E não ando de bicicleta
Sou do tipo, bem... extrovertida
E ao mesmo tempo sou discreta
O principal é que sou poeta

Sou tristemente alegre
Me chamam até de bipolar
Pois brinco e ao mesmo tempo
Do nada um mal humor me dar
E começo a me estressar

Às vezes é engraçado
Minha mudança de humor
Estou triste, estou alegre
E riu até sentindo dor
Nem eu... sei como que sou

Simplesmente complicado
É esse meu jeito de ser
Até quebro a cabeça
Para poder me entender
"É o tal de ser ou não ser!"

Acaba virando confusão
Lá no fundo da minha mente
Termina atacando os nervos
O pobre coração que sente
E até eu... fico doente

Mas não posso perder o foco
E continuo poetizando
Começo até a fazer graça
Para a alma ir alegrando
E a vida vou levando

Sou poeta, sou discreta
Não parece, mas sou esperta
Sou tristeza e sou alegria
Isso depende de cada dia
Sossegado ou folia

Nasci para ser poeta
E poeta é o que sou
Poeta sempre poeta
Poetizo com amor
Poesia é meu louvor

Uma Poeta eu nasci
Poeta sempre vou ser
Para sempre Poeta
Uma Poeta até morrer
Poetizar é meu prazer

Poeta inquieta
Esse é o jeito que sou
De fases como a lua
Mas escrevo com amor
Meu jeito nunca atrapalhou

Poeta sempre alerta
Em casa e na rua
Pois se paro de escrever
A minha cabeça continua
A poesia em mim atua

Uma poeta inspirada
Movida a emoção
Que adora escrever
Poesia é sua paixão
Escreve com o coração

Minha mente fica confusa
Mas depois ela se acerta
Então eu já me conformei
Nasci poeta e inquieta
E escrever é minha meta.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário