Poetisa Leidiana S. Silva

Poetisa Leidiana S. Silva
********

quarta-feira, 26 de julho de 2017

A DOR DO ABANDONO

Uma pergunta me corrói
Machuca meu coração
E a falta de resposta
Deixa-me até sem chão

Porque que ela me deixou
Meu coração à perguntar:
Batendo acelerado...
E eu me acabando de chorar

Logo hoje que tristeza
Que total decepção
Eu ia a pedir em casamento
E ela partiu meu coração

Simplesmente me deixou
Agora estou abandonando
O meu mundo desabou
Tô me sentindo massacrado

Fiz tudo certinho
Sempre fui bem comportado
Sou o tipo de homem
Que toda mulher quer um do lado

Porque ela me deixou
O que aconteceu
Me fala por favor
O que se sucedeu

Não aguento mais
Tamanha aflição
Hoje ela simplesmente
Pisoteou meu coração

Se ela não mais me queria
Porque me iludiu
Porque fingiu me amar
E agora sumiu

Eu estava tão feliz
Estava tão apaixonado
Que nem mesmo percebi
Que iria ser abandonado

Foi um choque de repente
Realmente foi uma tortura
E essa falta de resposta
Tá me levando a loucura

Oh, mulher cruel
Porque tanta crueldade?
Como pode um ser tão lindo;
Ter em si tanta maldade!

Mas vou me recuperar
Vou agora mesmo me compor
Essa mulher ardilosa
Não merece meu amor

Não vou me desanimar
Essa mulher vou esquecer
Tenho certeza que outra mulher
Melhor que ela vou conhecer

E quanto a ela, se um dia
Se arrepender e querer voltar
Vai ser sua maior tristeza
Pois terá outra em seu lugar

Hoje eu estou chorando
Mas amanhã posso sorrir
Toda essa humilhação
Tenho certeza não mereci

Mas vou virar a página
E minha vida vou tocar
E como eu já falei...
Porei outra em seu lugar.

terça-feira, 25 de julho de 2017

POESIA, A ESSÊNCIA DA ALMA

Simplesmente, a poesia
A essência é da alma
Envolvente e excitante
Ela alegra e acalma...

O pulsar constante da veia
Que passa pelo coração
E como um fogo se candeia
Realidade... e ilusão...

Como fogo aquece a alma
E da derrota leva a glória
Para sempre... se eterniza
Registrando-se na história

Poesia é fogo que queima
E é água transparente
Também é terra adubada
E é chuva com enchente

Algo inesquecível
Poesia é viver
É sonhar, imagina
Poesia é acontecer

Uma essência única
Essa é a poesia
De fragrância surpreendente
Seu perfume erradia

Poesia é amor...
Ódio e ressentimento
Poesia é alegria...
E triste de momento

Assim como o fogo ardente
A poesia também tem chama
Que se acende de repente
Quando alguém a declama

A Poesia é fogo
E o Poeta é lenha
Poesia é o cofre
E o Poeta a senha

Poeta sem poesia
É igual fiel sem fé
Poesia sem Poeta
É o mar sem maré

Isso é um grande dilema
Gera até confusão
Confunde a beça às ideias
E deixa a mente a milhão

Poesia é a cura
Para quem está deprimido
Pois assim como a loucura
Ela mexe com o juízo

O intelecto escondido
Camuflado em cada ser
Que é chamado poesia
Sempre vai prevalecer

Pois a poesia não morre
E nunca vai se acabar
Parecida com o fogo
Ela está em todo lugar

Acende aqui e acolá
Dentro da mente e no olhar
Pode acender numa canção
Ou num verso a recitar

Principalmente a poesia
Vem em forma de paixão
Do tipo avassaladora
E acende no coração

A poesia pra sempre fica
Em seu ser ela faz morada
Sua essência se espalha
E sua chama faz queimada

Depois disso não tem jeito
Não tem como a esquecer
Deste momento à diante
Ela faz parte de você.

segunda-feira, 24 de julho de 2017

RECONSTRUIR É BOM

Já reconstruí minha vida
Tantas vezes... E nada dura!
Que já estou até pensando
Em estudar arquitetura

Para descobrir o segredo da vida
E saber qual melhor estrutura
Porque do jeito que estar
Vai é levar-me à loucura

Ficar constrói e reconstrói
Bagunça a mente e a alma dói
Desorienta a pessoa
E até mesmo o corpo dói

Reconstruir alguma coisa
É assumir que deu errado
Ou admitir que o tempo passou
E o algo ficou deteriorado

Reconstruir não é bom
Bom mesmo é construir
Pois para se reconstruir algo
Primeiro tem que o destruir

Reconstruir é desmanchar
E novamente refazer
Ou até mesmo restaurar
O que original nunca vai ser

A reflexão de vida
É chamada recomeço
Que estranhamente é igual
A se mudar de endereço

Pois incômoda, e entristece
Desorienta e desanima
Mas há mal que vem pra o bem
É o que a vida nos ensina

A mudança pode ser boa
E a reconstrução ser o reviver
É como eu sempre digo
Só depende de você...

Quando se é determinado
Reconstruir é divertido
A mudança é interessante
E tudo passa a ter sentido

Você chega aonde quer
Consegue o que deseja
E a vida fica é linda
Comparada a uma cereja

Você se torna um arquiteto
Sem estudar arquitetura
Se tornando em alegria
O que achava ser loucura

Refaça... reconstrua...
Quantas vezes for preciso
É bem melhor se refazer
Do que ficar no prejuízo

Faça como o oleiro
Que faz e sempre refaz
Termina e recomeça
Sem desanimar jamais

Reconstruir é bom
Se bom você fizer
Reconstrua a cada dia
Sua alegria e sua fé

Reconstruir é continuar
Reconstruir é não desistir
Reconstruir é recomeçar
Determinadamente persistir.

QUEM ME COMPLETA

Quem não me completa
Falta também não me faz!
Então uso aquele lema
Que tanto fez, tanto faz

Quem não me completa
Com certeza é insignificante
Esse tipo para eu esquecer
É uma questão de instante

Quem não me completa
Pra mim é tipo um azar
Pois se não me ajuda
Pode até me atrapalhar

Quem não me completa
Para nada me deve servir
Então eu sempre digo;
Sai pra lá... some daqui.

Quem não me completa
Deve não nem me merecer
Então saindo da minha vida
Nenhuma falta vai fazer

Quem não me completa
Pode até me esvaziar
Esse tipo sami-suga
Eu não quero nem encontrar

Gente negativa
O tipo invejosa
Aquela duas caras
Do tipo maliciosa

Uma figura interesseira
Que nadinha... faz atoa
Do tipo que não vale nada
Mas que se finge de boa

Já falei e repito
E não fale que sou ruim
Mas esse tipo de pessoa
Quero é longe de mim

Esse tipo me faz mal
Atrasa a minha vida
Pois mesmo me odiando
Me chama de querida

Sua falsidade é tanta
Que vai além do normal
Pois finge te querer bem
E na verdade te quer mal

Eu tenho tanto medo
Que já vivo desconfiada
Sempre meditando
Espero está enganada

Mas isso é normal
Pois muito me decepcionei
Diversas vezes fui traída
Por pessoas em quem confiei

Quem por borra de vela
Um dia foi queimado
Pode ter certeza
Ainda é traumatizado

Mas não vou deixar
Que meu medo vire corrente
Envolva-me todinha
Me prendendo de repente

Vou continuar procurando
Por alguém em quem confiar
Alguém que me completa
A quem eu possa me apegar

Sei que tem muita gente
Que a amizade é um dom
Gente tipo sem malícia
Pessoas de coração bom

Esse tipo sei que é raro
Mas quero muito encontrar
Aquela pessoa positiva
Cujo a missão é completar

Alguém que te completa
Transmite grande bem
E estando ao teu lado
Se sente bem também.

domingo, 23 de julho de 2017

A POETA DA FAVELA

Na Favela Palmeirinha
Da Cidade de Votorantim
É onde por muitos anos
Num Barraco me escondi

Nem sempre morei em Favela
Mas de uma Favela sair
Isso mesmo: Por dez anos!
Numa Favela residir

Ali me escondi do frio
E suportei todo o calor
Temi chuva e trovão
E perigo que me rondou

Sofri muito com a fumaça
De todo o lixo que queimaram
E mesmo sabendo que mal causava
Nunquinha que se importaram

Num barraco desgastado
Com buracos aqui e acolá
Que quando o tempo ia esfriando
Lá dentro já estava a ventar

Vento entrava de um lado
E do outro já saia
Amedrontando às crianças
Que até perderam a alegria

A energia sempre faltava
Tanto de noite, quanto de dia
E ainda para minha tristeza
O cano d'água sempre entupia

Um dia acordei assustada
Com a casa fumaçando
E quando olhei para cima
A fiação estava queimando

Gritei socorro, desesperada
Com um alicate na mão
E pedi para um rapaz
Cortar para mim a fiação

E naquela triste noite
No escuro eu dormir
E nem se quer uma vela
Depois disso acendi

O dia amanheceu
E o estrago ali eu vi
Teria morrido queimada
Se continuasse a dormir

Mas os céus me ouviu
Até Deus chegou meu clamou
E essa Poeta aqui...
Um apartamento ganhou

Hoje tenho um endereço
Hoje tenho o meu lar
Mas essa Poeta aqui
Chegou numa Favela morar

Sou a Poeta da Favela
A Poeta da Periferia
Que mesmo sem muito estudo
Sabe... fazer poesia.